quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

O Mundo da Lava - Lava World



(Esta foto pertence a uma reportagem de Ronald Péret, The Lava World (publicada em 1989). (veja mais)

>> abaixo trechos das reportagens: "O Mundo da Lava" (1989 e reeditada em 1996) e "Ilhas em Obras" Reportagem 3G (2007).

>> Esta foto foi obtida em uma das mais recentes, ilhas do mundo. A Ilha do Havaí situada no Oceano Pacifico, situada no arquipélago do Havaí (Hawaii), esta ilha possui os títulos de a "maior" e a mais"alta" ilha do mundo. Por ser a residência de dois dos mais ativos vulcões do mundo, o Mauna Loa (4169 metros) e o Kilauea (1242 metros) , a ilha esta permanentemente em construção, devido as atividades vulcânicas do Kilauea .
.
>> Exatamente no penúltimo dia dos 23 dias, que durou minha estadia nas ilhas havaianas; me encontrava em Hilo - Capital do Havaí, quando me veio a idéia de dar uma voltinha, em direção a base sudeste do Kilauea. Era julho de 1989 e o Kilauea, apesar de estar sempre ativo, abaixo da terra, expandindo em direção sul, criando e destruindo, destruindo e criando; resolve acordar, na superfície... ...por sorte ou acaso do destino, este monte de lava, brota da terra, quase que sob meus pés, imaginem que os fluxos de lava (denominação dada ao magma quando chega a superfície), acontece todos os dias abaixo da superfície, com o magma avançando em direção ao mar, mas são poucas as vezes, que este se rompe e aflora na superfície, para o deleite dos meus olhos, passei horas fotografando, rolos e mais rolos de filmes (1600 slides e fotos), crateras, fumarolas, close-up, pahohehoe, dutos..etc. Esta foto e outras imagens que obtive neste dia, já foram usadas em exposições, aulas de geologia, cartazes, apresentações multimídia e exposições fotográficas.


>> trechos das reportagens direcionados a públicos específicos: aventureiros, fotógrafos.


>> Para aventureiros: A velocidade deste fluxo de lava não supera, a de um ciclista, mais antes que a lava o encontre, seu calor de centenas de graus o incendeia; os galhos e arvores a alguns metros antes da lava o alcançar, se auto inflama. O calor e a atmosfera reinante e bela, assustadora e cativante. Este vulcão que transforma passivamente a ilha, já que outros vulcões pelo mundo...jogam bombas vulcânicas, cinzas e lavas a muitos quilômetros de sua boca. O kilauea por assim dizer, passivamente vomita, suas entranhas, ao invés de grandes cuspidelas. Os termos usados, são para os leigos (não geólogos) melhor visualizarem o que de fato acontece.

Fiquei horas caminhando nas bordas deste mar de lava, claro onde podia sentir sua solidez,uma prova de sua situação “resfriada”, loucura... Não; vontade de obter a melhor imagem. Na verdade todo este movimento o fluxo de lava, acontece a menos de um metro abaixo da sola de minhas botas, mais quando um pequeno sinal de estalos e camadas se soltando, o melhor mesmo é correr, para um lugar mais morno. Esta aventura e algo inesquecível. Posso dizer que a lava tocando o mar, hipnotiza; passei horas no mesmo lugar e nenhum dos dois venceu (lava e mar). As minhas fotos jamais iram brotar em quem vê-las o real sentimento de quem: vê, sente e respira... este que podemos chamar o pulsar do planeta. Obs.: os guardas do Parque Nacional dos Vulcões tomam conta de tudo, é impossível obter um sim ao pedir para dar uma volta fora dos limites seguros... (estão absolutamente certos) justamente aonde a adrenalina jorra...e as fotos são espetaculares. Eu literalmente pulei o muro: não recomendo pois os guardas estão absolutamente cumprindo as regras.

>> Para fotógrafos: Imagine que interessante apontar a câmera numa direção, aguardando que a paisagem se modifique, não a luz sobre ela incidente, mais a luz que brota de sua própria composição. No Havaí (Hawaii)... Caso a sorte for sua companheira, sem sair do mesmo lugar (spot) a paisagem mudara. A Terra em sua forma mais primitiva vai adrentanto o oceano sem trégua, e este luta incessantemente para tomar o que lhe roubaram. A maior evidencia real da origem de tudo (geologicamente), treme sobre nossos pés, por horas, dias, semanas, muito mais que possamos descrever, a terra em seu mais intimo núcleo, solta sua ira ou amor... fendas e fraturas; são rios de lava, que ao destruir, vai construindo, que ao moldar se molda. a sua própria criação a cada segundo entre um resfriamento de sua superfície ou aquecimento de seu interior. Realmente um paraíso fotográficos muito mais de detalhes do que horizontes. Obtive 1600 imagens (slides) de vulcanismo no arquipélago havaiano, usei EKtachrome 64, Fujichrome RFP 50 e kodachrome 64 profissional; câmeras Nikon (F4, F3 e N90); lentes originais Nikon (300mm 4.0 ; 80-200mm 2.8; 180mmED;105 mm 2.8 macro; 50mm 1.4; 35mm PC); Tripé Bogen.
obs.: o databank da 801...formalmente fritou, depois de três close-up de Lava a 41cm (a primeira esta disponível acima).
Neste link pode ser visulaizadas imagens de Oahu, Hilo, Molokai, Honolulu, close-up de "Pahoehoe Toe", e detalhes tecnicos das fotos aqui postadas. (veja mais imagens acompanhada de textos em português)

>>>>>>>> >>>>>>>>>>>> >>>>>>>>>

Ronald Péret possui um acervo de 5000 imagens das Ilhas Havaianas nos EUA; sendo 1600 fotos ligadas a geologia. Estas imagens podem ser adquiridas, para serem utilizadas em matérias jornalísticas, com fins comerciais (publicidade e Turismo) ou em publicações e pesquisas cientificas ligadas a geologia, fauna e flora, meteorologia... .

Periodicamente Ronald Peret administra e oferece: workshops, cursos e seminários de fotografia no temas: Técnicas de fotografia na geologia, Fotografia de Natureza, Fotografia de Viagens. Todos direcionados para empresas, projetos educacionais, alunos de pós-graduação e indivíduos que buscam o profissionalismo na Fotografia ou um conhecimento avançado e especifico. Contato pode ser feito no comentário ou cel.: 55 31 84038966

Um comentário:

  1. como fazer uma substancia com aparencia de lava???

    ResponderExcluir